quarta-feira, Setembro 17, 2014

Não, não morri

Estou apenas em coma mental em termos de produção de texto para o blog.


Depois das férias, que de férias tiveram mesmo só o nome, agora já me encontro em plena época de trabalho... a todo o vapor. Mais uma vez 8 turmas.


E também me encontro em estado de choque com a BCE... Como pode o MEC dizer que não pode haver comparação entre as listas da contratação inicial e as listas da BCE? Quer dizer... tipo... no fim o tempo de serviço conseguido pela colocação através de qualquer das listas não conta igual? Vai haver uma coluna para o tempo de serviço conseguido por colocação BCE e outra para os outros concurso?


Eu nunca vi tanto concurso para a mesma coisa.......

quarta-feira, Julho 23, 2014

PACC

Não culpo ninguém a não ser o MEC. Não culpo professores do quadro, não culpo professores contratados, não culpo vigilantes, não culpo quem fez a prova, não culpo quem invadiu escolas, não culpo quem aponta o dedo, não culpo quem chora.


O MEC é o único culpado, o MEC e o governo que há já bastante anos (seja o governo de PS, de PSD de CDS ou do catano) anda de dente afiado aos professores, filado na fraca união, filado no ódio que o povo nos tem (porque temos vida fácil, porque não fazemos nada, porque temos muitas férias...), incentivado por uma comunicação social que não entende nada do que é ser professor, do trabalho que isso implica, que não entende nada de concursos de professores, que não entende nada de nada e baseia-se em comunicados ignorantes de um governo que quer manter o povo ignorante pois um povo ignorante governa-se melhor do que um povo capaz de pensar.


A PACC e os moldes em que foi feita serve apenas um único propósito: eliminar professores das listas. Assim, com menos uns milhares de professores, a comunicação social poderá retirar alguns números ao total de professores não colocados em Setembro próximo.


Os professores não são burros, são licenciados, mestrados, alguns doutorados até. Os professores não sentem medo ou se acham incapazes de fazer uma prova, os professores acham é que esta prova não vai provar que nós somos capazes de ser professores. Querem realmente uma prova? Façam-na à saída das universidades... ou até antes, na altura em que escolhemos o que queremos ser. Há testes psicotécnicos, há exames que nos dizem se temos essa vocação. Agora isto?!


E eu pergunto: porquê uma prova aos professores com menos de 5 anos de serviço? Porquê os 5 anos? A partir dos 5 anos já somos todos excelentes professores sem necessidade de provar seja o que for? Há professores a quem faltam 13 dias para os 5 anos. Esses 13 dias vão transformá-lo, miraculosamente, num bom professor? A PACC vai transformá-lo num bom professor? E os outros? E aqueles que dão aulas numa área na qual não há professores? Aqueles que dão áreas como turismo, HACCP, cozinha, restaurante, SPA, enologia, agricultura, fotografia, canalização, etc, etc, etc. Esses não são obrigados a fazer a PACC? Porquê? São melhores professores do que aqueles que, tendo feito uma formação para o ser, não têm 5 anos de serviço?


E os outros? Aqueles que o MEC, inteligentemente, se "esqueceu" de incluir nesta nova chamada eliminando assim mais umas centenas de professores das listas? Porque é que esses professores foram esquecidos? Na mesma escola uns foram chamados, os outros não. Porquê? E porque é que o MEC não lhes responde quando eles lhes perguntam o motivo pelo qual o seu nome não aparece para realizar a prova? O que se passa aqui?


E o facto de ter convocado os professores para esta prova com 4 dias de antecedência publicando um despacho com efeitos a partir da véspera? E o facto de proibir reuniões sindicais nas escolas? E o facto de destacar polícias para as escolas para impedir seja quem for de entrar? E o facto de levarem professores que desistiram de fazer a prova para uma sala e deixá-los lá guardados por polícias? E o facto de haver polícias à paisana entre os professores que estavam cá fora prontos para entrar? E o facto de juntar dezenas de professores na cantina para realizar uma prova? E o facto de essa prova só ter iniciado as 12h10, duas horas depois da hora oficial de início da mesma nas outras escolas?


Isto é ditadura. Eles fazem o que querem e não têm limites nem ninguém lhos impõe. É ditadura pura e simples. E o povinho, sempre preso na sua ignorância de que os professores querem é boa vida e têm muitas férias e pouco trabalho, acha bem, acha bem e goza, dizendo coisas tão ignorantes como "Porque é que os professores dizem que este exame não avalia conhecimentos? Então porque é que dão exames aos alunos?". Eu tento, juro que eu tento esclarecer esta gente. Não quero que fiquem do lado dos professores, mas quero que não digam ignorâncias destas!!! Porque até saberem o trabalho que um professor tem, não podem falar. É fácil falar mal dos professores. Somos quantos? 50 000? 100 000? Tendo em conta que o número do povinho ignorante com a pala nos olhos é muito maior, é fácil descascar nos professores, esses vadios de boa vida que não fazem nada e nem sequer querem ser avaliados ou fazer uma prova simples. Uma amiga minha, que partilhou casa comigo no ano passado, sem ser professora e sem nunca ter partilhado casa com nenhuma, disse-me, ao fim de duas semanas de convívio, "Eu queria ser professora, mas agora nem pensar!!" porque, justificou ela, via-me chegar a casa e passar o resto do tempo agarrada às aulas, aos testes, às atividades, ao trabalho, às fichas, a tudo...


O povo esquece-se de algo muito importante: quando acabarem com os professores, passam ao próximo... e os próximos podem ser eles... E aí já é um Deus nos acuda. Porque nós só nos incomodamos quando nos batem à porta.


"Primeiro eles chegaram e levaram os judeus. Não protestei porque não era judeu. Depois levaram os comunistas., Também não protestei, pois não era comunista. Logo em seguida levaram os católicos. Eu não era um deles e não me importei. Por fim vieram me buscar. E aí, já não tinha mais ninguém para protestar por mim" (Bertolt Brecht)

terça-feira, Junho 10, 2014

domingo, Maio 04, 2014

Testes - a saga

Possuída pelos óptimos miseráveis resultados nos testes, passei sermão aos miúdos, dizendo que eles não estudam, que podiam ser muito melhores, que fiquei desiludida, que assim não dá, que me sinto má professora porque não consigo que eles tenham bons resultados (ultimamente dei-me conta que fazer-me de vítima também tem os seus resultados hehehe) etc, etc, etc, um dos meus iluminados responde-me:


- Professora, não se preocupe, no próximo nós melhoramos! Este foi só para aquecer!!

quarta-feira, Abril 16, 2014

Façamos um minuto de silêncio....

.... pela minha situação financeira...


Ganho hoje o que ganhava há 10 anos atrás quando entrei para o quadro.


E agora vou remeter-me ao meu luto pelos 200€ que me roubam todos os meses já há bastante tempo...

segunda-feira, Março 03, 2014

Resposta inspiradas dos nossos alunos

- Indica uma planta da qual se pode comer o caule.


- Pinheiro.


----


Já estou a ver toda a malta a entrar pelo pinhal dentro e a atacar os pinheiros... cheios de fome...

sábado, Fevereiro 08, 2014

A vida ocupada dos nossos alunos

Depois de eu ter marcados os testes para este período o A., muito preocupado, olha para o mapa de testes e, quando interiorizou o panorama geral, disse para os colegas:


-Eh pah, eu não sei como é que vou conseguir fazer isto... vocês, que não têm vida social, safam-se, agora eu...




................










Acho que ficámos todos a olhar para ele com cara de ursos!! :)

terça-feira, Fevereiro 04, 2014

domingo, Janeiro 19, 2014

Testes magníficos 1

Primeiro, isto tudo é numa língua estrangeira, mas que me fartei de rir com estas respostas, isso fartei... mesmo com a frustração de ver que ou eles não estudam, ou eu sou mesmo má professora:




Completa as frases com as palavras do quadro:




"Usa um brincos na cabeça como os piratas!"
"Se não tens furos nas orelhas não podes usar este cachecol."
"Tem os dedos tão finos que lhe caem os brincos."
"Se não tens furos nas orelhas não podes usar estas luvas."
"Tens as mãos geladas! Por que não usas uns brincos?"




Não sei se me mato ou se me deito a afogar....

terça-feira, Dezembro 31, 2013

Feliz Ano Novo

Que 2014 seja bem melhor que 2013.
Que traga boas novas aos professores. Não pedimos muito, respeito e valorização da profissão é o mínimo. 

E aqui vai um docinho para todos :)